Como se trata de uma obra pública, o projeto da nova ponte do Guaíba não foi interrompido como aconteceu com algumas iniciativas da construção civil em Porto Alegre durante a pandemia do coronavírus. De acordo com informações do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a meta é antecipar, do que era estimado anteriormente, em quase dois meses a abertura ao trânsito na estrutura. Com 12,3 quilômetros de extensão, ainda segundo a pasta, a construção está na reta final e a previsão atual é liberar a travessia até o início de novembro. A estimativa é de que o custo alcance R$ 830 milhões no total.

Com a liberação do fluxo, os veículos poderão trafegar entre as regiões Norte e Sul do Estado pela ligação entre a BR-290/RS, a Freeway, e a rodovia contínua BR-116/BR-290. No momento, os trabalhos estão concentrados no km 99 da BR-116/BR-290. Neste ponto, estão sendo cravadas as estacas pré-moldadas do bloco da travessia na margem do acostamento externo da estrada. No local, está em execução também o canteiro central. Na sequência, será realizada a instalação dos pilares e o lançamento das travessas, vigas e lajes para compor o ramo que liga a pista atual à nova ponte.

Com menos de 10% para ser finalizada, a nova ponte do Guaíba já está com as principais estruturas praticamente concluídas. Sobre o rio Guaíba, os vãos navegáveis e trecho em elevada estão quase todos executados. A interseção do acesso à avenida Dona Teodora, às margens do Guaíba, na Freeway, e o alargamento da ponte sobre o Saco da Alemoa também são ações em estágio avançado, aguardando a instalação da iluminação e sinalização, que são as últimas etapas da obra. Estão sendo conduzidas ainda as obras de terraplenagem, drenagem e a pavimentação.

A construção do projeto atende a um desejo antigo dos gaúchos. Esta segunda travessia vai ampliar a interligação da Região Metropolitana de Porto Alegre com o Sul do Estado.

Fonte: Jornal do Comercio

Comments are closed.